Pular para o conteúdo principal

Miley, você voltou para a luz! :D

Vocês já devem saber que Miley Cyrus está de volta em uma fase mais  clean  de sua carreira.
A cantora lançou recentemente o single "Malibu", romântica e inspirada no noivo, - o *gatíssimo - Liam Hamsworth.
Dizendo adeus à sua fase rebelde, a cantora e atriz retoma suas raízes country. Eu fiquei absurdamente feliz com a notícia.

Eu sempre achei a Miley talentosa, e sempre gostei de suas músicas, mas, achava um tanto quanto terrível a forma apelativa de exibição em sua carreira. E country é country né mores! Há quem não goste, deteste. Há quem não conheça. Há quem não fede e nem cheira. Mas há, aqueles que como eu, esperavam ansiosos o momento em que Miley iria acordar e voltar a ser o orgulho do papai Billy Ray Cyrus.
Eles compuseram músicas juntos, e sempre tiveram na música e no country um elo de afeto, intimidade e amizade. 
Então sabe-se lá o que aconteceu, mas creio que o fim do ciclo "Hannah Montana" tenha mexido com os sentimentos da Miley.

Todo mundo tem suas fases. Ora românticos, ora roqueiros, ora góticos, ora hippies, ora Geek e tantos outros momentos de personalidade e estilos musicais em que passamos. E acredito que todo mundo, tenha alguma vez na vida dado espaço para seu lado sujo, obscuro ou apenas rebelde vir à flor da pele.
Assim como a Xuxa, fora transformada num molde de pessoa pela emissora globo e vem se mostrando uma pessoa totalmente diferente na emissora atual, a record. 
Assim também Miley Cyrus saiu da Disney Channel, do protótipo de princesa e sentiu a necessidade de libertar seu lado contrário. Bem sabemos que a Disney lança muitos cantores e atores e que, ao encerrarem seu ciclo disney, se transformam. Tornam-se o oposto de imagem inicial, e embora nem sempre se tornem "maus exemplos", na maior parte dos exemplos a mudança é negativa ou traumática. Podemos citar: Lindsey Lohan, que cedeu às drogas, álcool e muito escândalo; Demi Lovato e Selena Gomes, que tiveram de enfrentar a depressão e os transtornos de personalidade relacionadas à doença;

Bem, tem quem reclame da mudança da Miley. Tem quem - como eu - está radiante com a notícia da mudança. Em todo caso é muito difícil ver alguém desperdiçar seu talento atrás de holofotes obscuros da mídia, e às vezes se perdem no caminho sem volta. 
Entretanto, no caso da Miley, é muito bom vê-la bem e de volta à ativa.
Hoje a cantora afirma que reprova suas atitudes e não se orgulha da fase anterior. 
Tomara que ela supere essa realidade dura de ver que "nossa, gente que baixaria!".

Bem vinda de volta ao lado bom da vida Miley, o simples, feliz e consciente.
O problema não é vulgarizar a sua imagem, torná-la libertina, - porque a imagem é sua e você é livre para se expor à sua arte da sua maneira - mas sim, transformar todas estas experiências de: sexo, álcool, e fama, em atitudes destrutivas.  Destrutivas para seus fãs, e claro para você.

Isso de "ela é mau exemplo", não cola. Ela expõe sua arte como quiser, você que decide se admira ou não. Como um filme que tem classificação indicativa, assim também ocorre na música. 
Meu protesto não é por "ela representava crianças, e olha só o que está mostrando agora!", meu protesto é por "ela mostrava em suas músicas, ações e palavras o quão infeliz e perdida consigo estava". 
E eu não estava errada. 
Que bom que a fase triste passou. 

Quase parafraseando R.Russo: "Ela aprendeu a beber, deixou o cabelo crescer, e decidiu trabalhar..."

Eu gostei do clipe, gostei da música e achei que está notória, a tentativa de lançar um ar mais infantil, ingênuo e romântico de volta à imagem da cantora.

Confiram o novo clipe da mocinha e comentem se gostaram ou não do retorno da Miley Hannah Cyrus.

* neologismo

Comentários