Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2013

05 #Doce Infância - Gibis&Afins {03} GibiGang

E quem não ama gibis? Difícil encontrar alguém que não goste !

Há algum tempo atrás surgiu o quadro "#Doce Infância - Gibis & Afins". E nele eu citei em duas postagens , o saudoso e irreverente "Calvin and Hobbes". Citei também meu apreço por esse universo.

Eis que lhes afirmo, meus caros: os gibis tem representado algumas ideias mirabolantes na minha cabecinha viajante e sinto no ar, um cheirinho de "quero mais do que apreciar". A vida vai me ajudar? Claro que não! Meus leitores mais assíduos e íntimos sabem reconhecer o quão difícil é lidar com meu amor aos escritos, por justamente contar apenas com o meu amor e apoio de vocês. Mas isso é história dramática, para outro dia...

O fato é que: ou a Gibilândia vem para cá, ou nós vamos para lá !
Decidi juntar os dois. Então peguem suas xícaras vazias ou cheias, e vamos viajar! Temos muito a aprender !

Primeiramente, que tal dar uma olhadinha nos primeiros posts do quadro?

Gibis&Afins {01}
Gibis&Afi…

Contos de Natal

Tais contos que irei contar-lhes não tem nada a ver com o clássico "Conto de Natal". Não há fantasmas de natais passados, presente ou futuro. Embora, talvez, possa concluir-se que eles existam, e estejam presentes nas lembranças narradas. Intitulo o primeiro conto como: "Noel existe! Eu o vi!" e mais uma vez, minha mãezinha participa dessa lembrança.




Noel existe! Eu o vi! Natal de 1996, Belo Horizonte, Eldorado. A pequena garotinha de quatro anos aguardava ansiosa à chegada do vovô Noel. Como conta sua mãe, a ceia já havia sido servida à menina, mas ela recusava-se em dormir antes de ver o papai Noel. Naquele ano a pequenina escritora havia pedido uma boneca ao velhinho. Não sabia escrever, mas desenhou sua cartinha. Uma cartinha que tinha apenas desenhada: uma enorme árvore enfeitada, Noel, os familiares, o poodle Gugu aos pezinhos da criança e a boneca em seu colo.  As horas passavam e a criança sem sono decidiu brincar. A mãe tentava atraí-la para o sono argumenta…