Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2010

Nem Milão tem moda igual a Jequié.

"Até mais tarde meu filho, mamãe te busca mais tarde."  Diz a mãe, para a eufórica criaturinha que adentra aos portões da escola em velocidade.
"Professora, já se passaram cinco meses desde o início das aulas, e onde está o material escolar que a prefeitura tem que dar?"  
A professora, olha para os lados sorrindo falsamente, e recebendo outras criaturinhas recém-chegadas. Ela começa a gaguejar, prevendo o burburinho. Desde a pergunta emitida, já são quatro mães à sua frente. Uma com olhos curiosos, outra com cara de desdém, a terceira nem sabia que o filho tinha este direito, e a quarta, lá estava impaciente por ter perguntado e ainda não ter sido respondida.
"Bem, mães... Chegou um material ontem à tarde e hoje distribuiremos para as crianças ao final das aulas." 
As mães sorriem satisfeitas. A professora respira aliviada:"Por ora, consegui!", ela pensa. 
Meio-dia, bate o sinal da saída e as mães fazem fila no portão. 
"Nossa graças a Deus q…

Quem me deve alface, não me paga couve.

Quatro e quinze da manhã. E uma neblina pesada castigando os corpos quentes de uma jovem de vinte e três anos, e um senhor de sessenta e três. Éramos meu pai, e eu a caminho do ponto de ônibus. Um horário não habitual para mim, que quando necessário a algum compromisso me acordo às cinco horas, mas morando num sítio de uma região pouco isolada temos que convir com estes "não tem escolhas" da vida.  Ia eu ao Rio de Janeiro, do outro lado da cidade pra reaver uns documentos e outras burocráticas brasilidades cidadãnescas. A fila para aquele ônibus das quatro e pouca da matina, imensa! Trabalhadores e trabalhadoras que iniciam seu desfile na corda bamba exatamente às três da madrugada de cada dia, para que sigam com seus malabares diários em busca de uns R$ 970, 00 temeritos, quando não menos. O salário - expressão que surgiu em Roma, lá pelas tantas a.C; e que tinha relação com a troca de sacos de sal, a moeda da época - que de salgado nada tem. Vai o trabalhador com sono, fa…

Idosos com sem% de desconto!

Estou passando mal, com tanta falta de respeito. Dia após dia, eu me convenço de que Peter Pan, sabia muito bem o que estava fazendo quando fugiu para a "Terra do Nunca". Pois eu também quero trocar a "Terra do não tem não" pela "Terra do Nunca". Não sei vocês, mas eita medo de envelhecer!  Não pela beleza, não pela aparência, não pela proximidade com o encontro a São Pedro, o querido porteiro do céu.  Não, não é por nada disso.  É medo de envelhecer nestas terras tupiniquins, onde nem o índio fundador tem respeito.  Se uma coisa é certa, é que no Brasil, de velho ninguém gosta! É uma verdade, e que revoltante! 
Eis que fomos minha mãe e eu comprar uma passagem de ônibus, ao sessentão aqui de casa, e eu nem lhes conto o horror que é a busca por qualquer direito do idoso. 
Moça do guichê:  Boa noite, em que posso ajudar?
Mamãe:  Boa noite, gostaria de uma passagem para Belo Horizonte, no dia 20 para um idoso.
A criatura com aquela carinha fofa de "vá se danar&…

Semiapagados - Capítulo Um

Presente
Eu havia acordado às seis horas da manhã, e às oito e meia da manhã, Lucas não parava de falar sobre quais coisas Miguel gostaria de colocar em sua malinha. Miguel mal dormira de tanta ansiedade, e no meio da noite foi para o meu quarto pedindo para dormir comigo. Eu estava acabada de cansaço, pois além do meu filho se mexendo a noite toda na cama, meu sono também havia sido roubado por inquietudes desconhecidas. Às sete da manhã, ainda preparava o café quando vi Miguel pulando em seu padrinho – Lucas – e implorando para que ele ligasse o aparelho de som. Lucas me olhou como se pedisse permissão, e eu apenas assenti com um meio sorriso. Lucas colocou o CD para tocar, e Miguel cantava as músicas apaixonadas do pai, estava eufórico e sorridente. O maior fã de Luan, era, sem dúvida, o seu filho. Apressei Miguel para o café da manhã e sentamos os três: eu, meu filho, meu melhor amigo e também padrinho de Miguel. Miguel conversava animado com Lucas sobre os planos que teria com o …

SEMIAPAGADOS - CAP. 9

Depois do beijo, eu achei melhor ser direta com o Luan. Eu queria ficar com ele, mas não o queria gastando o latim com poesias e palavras falsas para me levar para o quarto dele. Era muito mais simples e sincero apenas falar o que queria. Esta minha forma direta de agir, intimida um pouco os homens, mas me poupa tanta dor de cabeça com eles. E eu tenho que agradecer ao Felipe por isso, porque antes dele, eu não sabia me comunicar com os homens. Então depois de muito quebrar a cara, mudei meu jeito de ser, pelo meu próprio bem. Luan e eu ficamos de amasso durante o restante da noite, e um pouco antes de irmos embora voltamos a dançar e socializar. Dennis já havia me mandado uma mensagem dizendo que tinha ido para o hotel. Se responsabilizou pela minha volta – ainda que desnecessário – disse que na hora que eu quisesse ir embora para mandar uma mensagem a ele, que ele pediria o carro. "Ei Mel, não achei a senhorita docinho em canto algum e olha que coincidência: eu também não achei o L…

SEMIAPAGADOS - CAP. 8

Após terminar de cantar voltei ao camarote e fui procurar Melissa. Estava preocupado se algum outro cara teria a encontrado, e se havia perdido a atenção dela para outro. Eu andava olhando para os grupos de pessoas à procura dela, quando Titi Müller apareceu em minha frente me assustando. Cumprimentei ela, que me parabenizou pela apresentação. Ela estava um pouco alegre por efeito do álcool, eu supus, e sorria muito. Eu cumprimentei a câmera do programa e Titi deu um grito: — Olha ela! Ela se referia à Melissa, que passou perto de nós, sem nos notar. Ela foi até Melissa, me puxando pela mão. Eu queria agradecer à Titi, por aquilo. — Luan! Nós conversamos com a sua amiga Melissa Diaz, que é muito, muito simpática por sinal – ela abraçou Melissa de lado — Nós já somos amigas, não é Mel? Melissa assentiu sorrindo um pouco sem graça. — Luan, ela disse que vocês se conheceram hoje e que vocês não estão de affair. Você confirma isso? Eu estava ansioso para deixar claro à Melissa que aquela noite, …

SEMIAPAGADOS - CAP. 7

Luan tocou minha nuca beijando de volta o meu rosto e senti um arrepio percorrer meu corpo. Assim que ele saiu, eu fui andando até o Dennis que estava conversando com os mesmos colegas que havíamos feito no início da festa. A loira estava com ele, e ele me apresentou a ela. Assim como ele foi protetor comigo em relação ao Luan, pensei em ser com ele em relação à loira. Mas acho que quem deveria ser protegido ali, não era o Dennis e sim, a garota. Então decidi não falar nada perto dele. Afinal, ele era meu amigo. Depois quando ele não estava por perto eu sondei a loira: — Qual sua intenção com o Dennis, uma noite ou duas? Ela me olhou desentendida e apenas respondeu: — Duas. — Então tá, olha ele é meu amigo, e eu já vou te avisando que o cara é muito legal. Mas não cria expectativas tá? Eu não quero que você fique mal com ele, e nem ele com você. Só... Vai com calma. Uma noite por enquanto é o suficiente. Ela sorriu e me agradeceu pelo aviso. Quando ele voltou, nos olhou e sobre uma encarada…

SEMIAPAGADOS - CAP. 6

Eu havia acabado de chegar ao camarote, e encontrei alguns parceiros. Peguei uma bebida e fiquei conversando com eles, perguntei a alguns se já haviam se apresentado. Eu entraria depois do Marcos e Belutti. E ainda faltava bastante tempo. Decidi não beber muito antes do show, eu apresentaria duas músicas e depois estaria livre. Não pretendia ficar na festa por muito tempo. Algumas garotas que estavam no local, conhecidas, outras acompanhantes de alguns amigos vieram se apresentar ou falar comigo. Estava em uma rodinha de conhecidos e, desconhecidos conversando, quando vi o Dennis passar de relance. Não tínhamos gravado nada juntos, mas eu planejava aquilo há algum tempo. Ele era um dos DJ que eu mais escutava, e embora o funk não fosse a minha praia, eu dava o braço a torcer no trabalho dele. Pedi licença ao pessoal e fui até ele. Nós éramos amigos, havíamos estado nas mesmas festas algumas vezes e ele já havia gravado até com outros parceiros do sertanejo. E eu sempre dizia quando o vi…