Pular para o conteúdo principal

Juventude de antigas adrenalinas.


Jeans azul. E um toque de rebeldia.
Luzes coloridas sobre os olhos.
E ventania de juventude louca.

Quem se contentaria com a segurança se o melhor sabor está nos riscos?
Diga que se lembra, da adrenalina pulsando enquanto sonhavas?

Palavras ocas, ilusões bradadas, juras que o vento levaram. 
O amor eterno é eterno simplesmente. E o que transforma os lados é o tamanho do querer.

Você caiu no fundo de tudo e não sabe voltar, não quer nem mesmo olhar para onde há o que pode ensinar.
Desde que se fecha, a alma se envenena aos poucos.
E a liberdade nem sempre pode curar quando é tarde demais.

É forte, muito forte e inesquecível quando parte de dentro e só pertence a si.
Diga que se lembra da adrenalina pulsando enquanto sonhavas.

Comentários

  1. "Desde que se fecha, a alma se envenena aos poucos." Isso foi brilhante. Lembra da bofetada na cara? Então, essa frase é um belo exemplar de bofetada na cara KKKKKK Não, sério agora, muito muito profundo. Senti saudade de ler seus textos-poemas e tive a sorte de sanar o sentimento lendo algo tão belo :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Letícia! Estamos aí, aos pouquinhos eu encontro um tempo para os poemas! Agora com essa nova roupagem do Xícaras, que deixou de ser um adolescente apaixonado e começa a se mostrar uma Xícara com responsabilidade de Chaleira, mais a faculdade, eu vejo que teremos um estudo de planejamento longo e infelizmente, abrir mão das fanfics :S Obrigada por comentar sempre *-* Fico feliz de ter sanado sua saudade de uma forma tão digna para os meus leitores. Um beijão!

      Excluir
  2. Lindo demais o texto! "O amor eterno é eterno simplesmente." Simples mas bem realista, adorei demais. :)

    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Camilla linda :) Muito obrigada ^_^' Até eu me surpreendo às vezes com as coisas que eu escrevo. Do nada surgem umas verdades! (risos) Muito obrigada por ler e comentar :D

      Excluir
  3. O texto já me encantou pelo começo, que me lembrou as letras de minha cantora favorita (Lana Del Rey).
    Ultimamente tenho entrado pouco na internet, mas sempre que posso visita seu blog me surpreendo com seus textos incríveis.
    Um grande abraço,
    Iago Marcell

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Iago, muitíssimo obrigada! É muito bom saber que há quem acompanha e gosta do que escrevo! Também adoro a Lana Del Rey, e infelizmente tenho tido pouco tempo para o blog. Mas prometo caprichar nos próximos e novos posts! Beijos, Raay.

      Excluir
  4. Raay, é coisa da minha cabeça ou isso é uma música? Amei! Ficou tão singelo, mas ao mesmo tempo tão marcante... Lindo. Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Lily, não é uma música, mas inspirei-me na Lana Del Rey. Obrigada pelo carinho e fico felicíssima de teres gostado. :) Um grande beijo!

      Excluir

Postar um comentário

Comenta! Adicione um pouco de açúcar nessa xícara!

MAIS LIDAS

Sobre fanfics 'oneshot' .

Comecei a ler fanfiction aos meus treze anos de idade, na época em que ainda existia no orkut (céus, como você é velha) aquelas comunidades de "Web Novelas". Iniciei as leituras virtuais com as tais web novelas, que na minha opinião atual eram um pé no saco, pois a plataforma do orkut não permitia uma postagem em página única. As autoras postavam os capítulos através de comentários nos fóruns. Logo, ocorria uma mistura infinita de capítulos da história com comentários de leitoras. Tudo dentro de um mesmo fórum.  Enfim... Quem viveu saberá do que estamos falando aqui, e tchananãn.

Criaram por fim, as fanfictions (ficções de fã) que eram postadas em sites de hospedagem de página HTML, como por exemplo, o vilabol e geocities (R.I.P).  Foi um achado, gente!  Porque você escrevia sua história toda, criptografava em HTML, e a história ficava no padrão atual de postagem. Ah! E havia a possibilidade de ser interativa, o que na época era um babado! Assim que encerraram a disponibili…