Pular para o conteúdo principal

Maletas descobertas.


Às minhas costas malas abertas. Espalhadas dentro delas todas as peças que uso para vestir-me, e alguns utensílios básicos. Espalhados à mostra de quem quisesse vê-los, vulneráveis. 
Então eu paro confusa em um canto qualquer, de malas abertas. Ninguém se interessa em olhá-las. Espantoso, visto que o mundo anda tão invasivo e tornou-se primordial aos outros mostrar todo o tipo de escória alheia.
 Há algumas peças defeituosas, umas camisas tortas, algumas calças largas demais, mas nem assim despiram os olhares às maletas. 
Meio sem rumo e ainda confusa não sabendo para onde ir apresentei-me. 
Afinal, decidi abrir a bagagem naquela estação do nada. 
Nada havia ali, nenhum ônibus, nenhum destino, nenhum perigo, nenhuma alma. Apenas um vento amigo que soprava aos  cabelos. 
Mirei as bagagens e fechei os olhos. 
Analisei-me internamente, talvez ali no cosmos infinito do meu eu estivesse algum manuscrito de endereço para o qual seguir. Estava certa. Havia muitas anotações perdidas. 
Abri os olhos e as malas estavam intactas. 
Alguns minutos pensando ali parada e atenta ao correr das imagens dei-me conta de que as maletas realmente expunham meu vestuário. Um guarda-roupas completo de amor, carinhos, lembranças, pecados, erros, acertos, orgulhos, medos, perdão, intelecto, ignorâncias, sonhos, pesadelos, felicidade, solidão, escamas e escamas de uma pessoa livre. Porém a lógica presente ali , para quem assistia era um conjunto de bagagens fechadas, com cadeado e senha. Somente eu enxergava-as aberta. E outra dúvida corroeu-me : estariam abertas e os sobreviventes inábeis não enxergavam ou estariam trancadas e apenas eu enxergava-me ?



Por, Rayanne Nayara.


Comentários

  1. Boa tarde, Rayanne!!
    Demorei a te add,pois o teu link, não aparecia.
    Seu blog é muito produtivo.
    Belo texto!!
    Excelente dia pra ti,Beijos no core.
    Soninha.

    ResponderExcluir
  2. Soninha muito obrigada pela atenção e carinho. Sinta-se muita bem vinda! Excelente semana a você. Abraços.

    ResponderExcluir
  3. Olá Rayanne. Tudo bem ?
    Acabei de encontrar o teu Blog, e gostei muito.
    Na descrição você fez uso das palavras de uma forma linda. E eu me prendo a isso, me identifico com isso. Expressividade no escrever.
    Meus sinceros parabéns, por que além disso, você tem o que dizer !
    Pelo pouco que eu 'andei' por aqui, vi o suficiente para querer ficar.
    Passo a segui-la.

    Um beijo,
    Uma linda semana.
    Jhosy
    http://meninamsicaeflor.blogspot.com.br/

    Att.

    ResponderExcluir
  4. Oh céus. Chorei com isso, sério *-* Jhosy muito obrigada pelas palavras sinceras :} Fique à vontade, o espaço é seu! Seja muito bem vinda. Uma excelente semana e obrigada novamente.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Comenta! Adicione um pouco de açúcar nessa xícara!

MAIS LIDAS

Sobre fanfics 'oneshot' .

Comecei a ler fanfiction aos meus treze anos de idade, na época em que ainda existia no orkut (céus, como você é velha) aquelas comunidades de "Web Novelas". Iniciei as leituras virtuais com as tais web novelas, que na minha opinião atual eram um pé no saco, pois a plataforma do orkut não permitia uma postagem em página única. As autoras postavam os capítulos através de comentários nos fóruns. Logo, ocorria uma mistura infinita de capítulos da história com comentários de leitoras. Tudo dentro de um mesmo fórum.  Enfim... Quem viveu saberá do que estamos falando aqui, e tchananãn.

Criaram por fim, as fanfictions (ficções de fã) que eram postadas em sites de hospedagem de página HTML, como por exemplo, o vilabol e geocities (R.I.P).  Foi um achado, gente!  Porque você escrevia sua história toda, criptografava em HTML, e a história ficava no padrão atual de postagem. Ah! E havia a possibilidade de ser interativa, o que na época era um babado! Assim que encerraram a disponibili…