Pular para o conteúdo principal

O ciúme do Casmurro.

_ Deixa eu te contar velho amigo. Outro dia, um conhecido me contou a história de um homem apaixonadíssimo por sua esposa. Ele era tão apaixonado que ao invés de ser "cego de amor", enxergava mais do que via.
_ Como assim Juvena ?
_ Uai, ele jurou de pé junto que a mulher traiu ele com o melhor amigo!
_ E não traiu ?
_ Isso é um caso complicado. Porque quando esse homem falou sobre  a mulher dele para esse meu conhecido, fez questão de adjetivá-la de um jeito que parecesse que ela não valesse um conto de réis!
_ Mas afinal, conte-me direito isso! Não entendo um pormenor que seja do que diz!
_ Olha meu amigo, teu raciocínio é lento por demais. Mas eu vou contar Quaresma, acalme-se. Ele era apaixonadíssimo por ela, primeiro amor, sabe? Mas era complicado para que pudessem ficar juntos. No caminho em busca de viver essa paixão ele conheceu um rapaz e ficaram amigos demais da conta! Só que aí ele apresentou-o para sua amada. O que me deu a entender é que ele sentia tanto ciúmes, que percebeu uma pequeno "cabo de rabo" que não existiu! Ele conseguiu casar-se com ela e tiveram um filho depois de muitas tentativas frustradas. Ele era ciumento demais sabe ! O que aquela mulher aguentou para ficar com ele, eu vou te contar ... só sendo muito santa! Até que o amigo dele morreu, e quando a esposa caiu em prantos ao vê-lo no túmulo, o homem deu motivos às desconfianças que vinha trazendo durante a vida deles.
_ Uai, mas afinal, traiu ou não ?
_ Não Quaresma, a mulher era boa! O menino era deles mesmo! O homem é que imaginava demais.
_ Ah, mas eu não sei não... Homem sabe dessas coisas Juvena! Se ele jura que a mulher traiu, é porque traiu!
_ Hunf... Olha Quaresma, vocês gostam é de tirar o "seus" da roda! Pode até ser que ele tinha razão, mas a culpa é dele mesmo! Afinal às vezes, vocês homens pensam tanta besteira que acabam por "tentar" as mulheres a dá-los motivos.
_ Ah sim claro... vocês são uma santas !






Oi pessoal. Quis mostrá-los através do mistério dos mistérios literários, essa eterna oposição que há entre os pensamentos masculinos e femininos. E mais uma peculiaridade do nosso cotidiano. Às vezes nada  do que é dito acontece, mas nos colocamos à fantasiar apenas para termos algo que nos movimente. 


Em outras vezes, certas coisas ocorrem e nos posicionamos a fingir que nada houve. Mas a grande maioria é que, com medo do que possa acontecer, acabamos por construir o caminho em direção aos nossos medos.

Um beijo divertido ^^'


Comentários

  1. hahha adorei o dom casmurro e ilustração esta linda
    Viver num T0
    mudei o endereço do blog agora é vivernumt0.blogspot.pt

    ResponderExcluir
  2. Adoro o teu blog, vi-o no blog da Maria, vou seguir :)

    ResponderExcluir
  3. Andreia Dias : Muitíssimo obrigada, eu adoro fazer novas amizades, novos seguidores *_* vocês são incríveis! Saiba que pode contar sempre comigo !
    Kiritta - Joana Silva: Oiii linda! Já estou seguindo-o ! E a propósito está incrível o seu blog! Muito lindo! E sim, eu também achei super maravilhosa a ilustração do Casmurro Facebook *_*

    Beijos minhas cerejas :*

    ResponderExcluir
  4. passeando pelo mundo dos blogs encontrei o seu e adorei seu modo de
    encorporar seu blog...
    adoreiii.....
    http://camillacardozo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Camila Cardozo : Obrigadaaa *u* Sinta-se a vontade para sempre visitar, sempre há textos quentinhos e novinhos :D Estou seguindo o teu blog!

    ResponderExcluir
  6. Essa é uma dúvida que eu tenho, e acho engraçado o fato de que nunca vou saber... Se Capitu traiu ou não... Conclusões todas nós tiramos após ler o livro, mas, ah! Como eu queria dar uma espiadinha pra saber a verdade.

    ResponderExcluir
  7. Bia, exatamente. Eu adoraria ter estado presente ao lado de Machado enquanto ele escrevia, ainda que fosse como uma mosquinha, só para ouvir os pensamentos dele *o*

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Comenta! Adicione um pouco de açúcar nessa xícara!

MAIS LIDAS

Sobre fanfics 'oneshot' .

Comecei a ler fanfiction aos meus treze anos de idade, na época em que ainda existia no orkut (céus, como você é velha) aquelas comunidades de "Web Novelas". Iniciei as leituras virtuais com as tais web novelas, que na minha opinião atual eram um pé no saco, pois a plataforma do orkut não permitia uma postagem em página única. As autoras postavam os capítulos através de comentários nos fóruns. Logo, ocorria uma mistura infinita de capítulos da história com comentários de leitoras. Tudo dentro de um mesmo fórum.  Enfim... Quem viveu saberá do que estamos falando aqui, e tchananãn.

Criaram por fim, as fanfictions (ficções de fã) que eram postadas em sites de hospedagem de página HTML, como por exemplo, o vilabol e geocities (R.I.P).  Foi um achado, gente!  Porque você escrevia sua história toda, criptografava em HTML, e a história ficava no padrão atual de postagem. Ah! E havia a possibilidade de ser interativa, o que na época era um babado! Assim que encerraram a disponibili…