Pular para o conteúdo principal

Os Tênis Mágicos.


Os tênis floridos. Ai ai, ainda lembro-me da primeira vez que ela os viu. Foi amor platônico .
Soltou-me a mão e correu à vitrine. Com suas pequenas mãos abordadas ao vidro, seus olhinhos brilhavam.

"_ Mãe! Por favor ! Eu preciso deles." - ela dizia quase chorando.

E o que eu não faço pela minha menina ? 
Os tênis floridos acompanharam-na sempre. Lembro-me e divirto-me em recordar, as broncas que eu dava à minha princesa por abusar dos meigos pares.
"_ Chega de usar esses tênis Melissa! Não tem outros sapatos?"
Ela apenas dava-me a língua respondendo : 
"São todos obsoletos. Meus tênis são mágicos."
Ela dizia que eram mágicos porque com eles foi ao seu primeiro encontro. Deu seu primeiro beijo. 
Em uma tarde, ela calçou-os e reclamou de já estarem apertando os mindinhos. Saiu com eles mesmo assim. Ela iria encontrar um rapaz, seu primeiro amor. Queria que o meninote fosse à nossa casa para nos conhecer. Eu disse a ela para não se iludir muito, mas óh ... a primeira paixão. Pobres dos iniciantes apaixonados ! 
Voltou em poucas horas descalça e subiu à seu quarto vazando mais do que a pia da nossa velha cozinha.
Largou os tênis em um canto atrás da porta e jogou-se sobre seus pelúcias. 

"_ O que houve minha princesinha?" 
"_ Ele não me ama mamãe! A Lucinha me contou, mas eu não acreditei. Ele namora a Karen !"
"_ Querida, essa dor passará. Você é jovem e linda ."
"_ E idiota. E os meus tênis mágicos mamãe? Descalcei-os no meio do caminho, apertavam-me muito. Foi por isso que ele parou de amar, porque eu descalcei-os. "
"_ Não seja tolinha filha, os tênis são apenas ... tênis comuns."
"_ Não mamãe, eles funcionavam. Agora que não me cabem, a mágica acabou."
"_ Você é uma grande boba sabia?" 

E com esse diálogo ríamos. Ela chorou muito mais do que riu, mas pelo menos chorou comigo. Isso infelizmente é inevitável. Os pais vivem decepcionando-se, pois a derrota dos filhos é a própria derrota.

"_ Mamãe, guarde meus tênis mágicos? Não poderei levá-los para a faculdade. Imagine!"
"_ Guardo com muito amor filha."
"_ Eu sei disso. Eles são importantes para mim, por isso os confio a você. Na hora certa eu os pego de volta."
"_ E qual seria a hora certa ?"
"_ Quando eu tiver que repassá-los para a minha filha."

Lágrimas escorriam em nossos rostos e segurando os tesourinhos da minha mocinha, abracei-a. 

"_ Te amo mãe, você sim é a mágica da minha vida."
"_ Também te amo filha, a mágica passou a existir depois que te segurei em meus braços." 

Agora, vejo ela indo embora. Minha princesinha, dos olhos de jabuticaba e das pequeninas mãos, cresceu. E a vida começa a cobrar os ensinamentos que eu dei a ela.


Por, 














Comentários

  1. Eu primeiro fiquei viajando em Message in a Bottle. Daí quado acabou eu comecei de fato a ler o texto, tocando Fix You de fundo... acho que essa música deu um toque especial ao texto durante a minha leitura, sabe?
    Texto belo sobre o relacionamento mãe-filha, tênis lindos e sobre magia... a magia está em nós, sempre :)
    Adorei.

    ResponderExcluir
  2. Ah, e parabéns pela playlist, The Police e Coldplay... Nem pausei e eu normalmente pauso porque não gosto de música tocando :p

    ResponderExcluir
  3. Letícia *u* vc me inspira, sério :D Fico muito feliz com as palavras, obrigada !

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Comenta! Adicione um pouco de açúcar nessa xícara!

MAIS LIDAS

Sobre fanfics 'oneshot' .

Comecei a ler fanfiction aos meus treze anos de idade, na época em que ainda existia no orkut (céus, como você é velha) aquelas comunidades de "Web Novelas". Iniciei as leituras virtuais com as tais web novelas, que na minha opinião atual eram um pé no saco, pois a plataforma do orkut não permitia uma postagem em página única. As autoras postavam os capítulos através de comentários nos fóruns. Logo, ocorria uma mistura infinita de capítulos da história com comentários de leitoras. Tudo dentro de um mesmo fórum.  Enfim... Quem viveu saberá do que estamos falando aqui, e tchananãn.

Criaram por fim, as fanfictions (ficções de fã) que eram postadas em sites de hospedagem de página HTML, como por exemplo, o vilabol e geocities (R.I.P).  Foi um achado, gente!  Porque você escrevia sua história toda, criptografava em HTML, e a história ficava no padrão atual de postagem. Ah! E havia a possibilidade de ser interativa, o que na época era um babado! Assim que encerraram a disponibili…