Pular para o conteúdo principal

Felicidade na bagagem.







 
E eu trouxe a felicidade na bagagem. 
Lá deixei-a.
Como quem deixa guardada uma roupa especial.
Separada apenas para os bons momentos.
Roupa essa que não visto há tempos, porém nem por isso desgostei ou tornou-se obsoleta.
Apenas não chegou a hora própria de usar.
Também não penso em quando devo limpar as traças da minha vestimenta. Se será em um evento de gala ou em um simples café da manhã.
Não solitário.

E eu levo a felicidade na bagagem.
Para onde estou, para onde irei.
Na mala falante e pensante sei que está segura.
Conservada à mil camadas de pano ou casca.
Preservada e intacta no pulsante e nervoso centro da bagagem.

Por, Rayanne Nayara.

Comentários

  1. Eu adorei esse poema, demais. Você é muito boa com poemas, invejo-te KKKK carregar a felicidade em uma bagagem... você atraiu a atenção com isso; é muito bonito o que você diz. Gosto de tudo isso e gosto de todos esses seus textos, profundos e com muito sentimento. Sou fã :D E como respondi no meu blog o seu comentário: espero aprender, escrever, e tudo o mais, com você. Beijos, Lets

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Comenta! Adicione um pouco de açúcar nessa xícara!