Pular para o conteúdo principal

Semiapagados - Capítulo Um





Presente

Eu havia acordado às seis horas da manhã, e às oito e meia da manhã, Lucas não parava de falar sobre quais coisas Miguel gostaria de colocar em sua malinha. Miguel mal dormira de tanta ansiedade, e no meio da noite foi para o meu quarto pedindo para dormir comigo. Eu estava acabada de cansaço, pois além do meu filho se mexendo a noite toda na cama, meu sono também havia sido roubado por inquietudes desconhecidas.
Às sete da manhã, ainda preparava o café quando vi Miguel pulando em seu padrinho – Lucas – e implorando para que ele ligasse o aparelho de som. Lucas me olhou como se pedisse permissão, e eu apenas assenti com um meio sorriso. Lucas colocou o CD para tocar, e Miguel cantava as músicas apaixonadas do pai, estava eufórico e sorridente. O maior fã de Luan, era, sem dúvida, o seu filho. Apressei Miguel para o café da manhã e sentamos os três: eu, meu filho, meu melhor amigo e também padrinho de Miguel. Miguel conversava animado com Lucas sobre os planos que teria com o pai e eu, embora feliz por meu filho, também estava preocupada.
Às oito da manhã eu já estava vestindo e penteando os cabelos de Miguel. E como dito, às oito e meia da manhã Lucas organizava os últimos itens na malinha do afilhado.

Pronto filho, agora é só aguardar o seu pai chegar.
Já está na hora?
Não filho, seu pai chegará às dez. E agora são oito e quarenta.
Campeão, porque você não assiste aos desenhos? Ajuda a passar rápido, a hora. disse Lucas como se contasse um grande segredo.

Miguel correu para a sala de tevê.

Eu nunca o vi tão ansioso para ver o pai. disse Lucas.
Ele tem sentido muita falta do Luan, e eu estou muito preocupada com isso.
O que você pretende fazer?
Eu não sei Luke, não posso cobrar mais do Luan. É o trabalho dele.
Tenho certeza que assim que você conversar com Luan, ele fará o esforço necessário para o melhor do Miguel.
É, é o que eu espero.
Eu quero te dizer que eu estou muito feliz de estar aqui com vocês dois. E eu sempre farei o que eu puder e não puder, por você e pelo Miguel.
Ah irmão, você sabe que eu também sempre estarei contigo. Mas, embora minha intuição me diga o contrário, eu tenho certeza de que é só uma fase. Miguel está começando a entender as coisas, e essa turnê do Luan foi uma surpresa para ele.

Luke havia ido morar comigo e com Miguel, assim que eu e Luan nos separamos. Nós resolvemos dar um tempo, e ainda não tínhamos nos divorciado legalmente. Luke também havia rompido o namoro com Marcos. Os dois estavam juntos há muito tempo, quando ainda estávamos na faculdade. Eles eram o tipo de casal que eu sempre achei que não fosse dar certo. Tão diferentes um do outro. E foi Marcos chegar nas nossas vidas, para eu sair. Eu amava o Marcos, por ele amar Lucas e aos poucos ele também foi conquistando o meu coração. Depois que Lucas e eu terminamos a faculdade, a minha vida sofreu uma grande reviravolta: eu trabalhava numa clínica da zona sul do Rio de Janeiro, e recebi proposta em Minas Gerais e não pensei duas vezes em me mudar. Cerca de dois meses depois estava eu em minha nova casa em Belo Horizonte. A minha mudança trouxe muitas dificuldades para nós no começo, mais que um amigo, Lucas era um irmão. Morávamos juntos há anos.
Eu comecei morando sozinha na capital, Belo Horizonte, de aluguel. Trabalhava em três clínicas, uma delas eu gerenciava – pois fora a proposta que me fizera ir embora do Rio – e não demorou muito para que eu alcançasse uma posição confortável no trabalho. Antes de conhecer o Luan, eu já havia proposto ao Lucas vir morar comigo, assim que eu financiei meu apartamento. Não tinha ainda pagado nem a terceira parcela do financiamento, e estava quebrada financeiramente. Comecei a trabalhar o dobro para recuperar meu conforto. Mas estava feliz, pela conquista do próprio imóvel. Se não fosse a ajuda dos meus pais, eu também não teria conseguido tão rápido. Lucas e Marcos estavam vivendo um suposto pré casamento na relação e tudo caminhava bem para eles. No dia em que Lucas me telefonou contando da separação, eu não pensei duas vezes antes de dizer, para ele vir embora. E ele veio e comigo estava desde então.

Terminamos de arrumar a cozinha, e enquanto Luke fazia companhia ao Miguel na sala de tevê, eu fui tomar banho. Ao acabar de pentear meu cabelo, eu voltei para a sala e pegava o telefone para ligar ao Luan. O relógio marcava dez horas, e embora eu devesse esperar mais um pouco, já me preocupava com um possível atraso.

Mamãe, quantas horas?
Eu já estou ligando para o seu pai.

Assim que terminei de falar, a campainha do apartamento tocou. Miguel pulava sorrindo e eu o sorri de volta. Fui em direção à porta, e ao abrir lá estava o sorriso mais lindo do mundo. O sorriso tão idêntico ao de Miguel. E os mesmos olhos castanhos, tão profundos e pacíficos mal tiveram tempo de me encarar. Miguel pulou no colo do pai. Sorri com a cena, como eu sempre sorria ao ver os dois. Miguel desceu do colo do pai, e veio me abraçar. Agachei à altura de meu filho, e olhando em seus olhos disse:

Filho, a mamãe quer que você aproveite todos os momentos com o papai, tá bem?
Pode deixar. ele sorria largo e eu o olhava, com os mesmos olhos preocupados da noite anterior.
Eu te amo muito.

Miguel respondeu um “eu também” e novamente nos abraçamos apertado. Luke cumprimentava Luan. E ao me separar de Miguel, finalmente pude cumprimentar meu ex.

Bom dia Mel. ele disse me abraçando.
Bom dia Luan, como vai?
Eu vou bem, e você?
Também. sorri amigável.
Luke, se importa de esperar com Miguel na porta do elevador? Luan perguntou ao Lucas quando viu que Miguel já estava na porta do elevador ansioso.

Algum problema? perguntei.
Você quem vai me dizer. Porque está tão preocupada? Tem alguma coisa acontecendo com o Miguel?
Tem sim Luan, – suspirei cansada Ele tem sentido muito a sua falta. Mal dormiu esta noite, se mexendo na cama, acordou eufórico, colocou o seu CD e está te aguardando desde as seis horas da manhã. E eu não estou te cobrando nada, mas eu me sinto muito culpada por tê-lo feito passar por tudo isto.

Assim que terminei de falar suspirando pesadamente, abaixei a cabeça. Luan pegou meu queixo me fazendo o olhar.

A culpa não é sua. Não seja tão dura com você. O único culpado nisso tudo fui eu, que acabei negligenciando a nossa família. Pode ficar tranquila porque eu também sinto muita falta dele e eu estarei o tempo inteiro com o Miguel. Eu vou aproveitar cada minuto, e ele vai se divertir muito. Eu vou dar o meu melhor, porque eu também sinto falta de…

Antes que ele pudesse terminar de falar, Pedro surgiu ao lado dele me cumprimentando e me beijando.

Oi amor. Bem, você já conhece o Luan – sorri fraquinho Luan, este é o Pedro.
Finalmente eu pude conhecer o papai do Miguel.

Pedro disse cumprimentando Luan, tentando soar simpático e após Luan respondê-lo, meu namorado voltou-se a mim:

Querida, eu trouxe as coisas para fazer seu prato favorito: bife à parmegianna.

Sorri sem graça. Aquele não era o meu prato favorito. Pedro deu as costas em direção à cozinha e voltei a encarar Luan.

Acho que precisa contar para ele que o seu prato favorito é bobó de camarão, ou na falta dele, qualquer tipo de massa. Ou não é mais?
Pode ficar contente em saber que você ainda tem razão sobre isso. eu sorri.
Melissa, no próximo fim de semana é o aniversário da minha mãe. E eu sei que é o seu fim de semana com o Miguel, mas eu queria saber se você se importa se eu levá-lo para o sítio. Mamãe está com saudades dele e de você, e do Luke também. O convite é extensivo.
Eu tinha planejado algumas coisas com Miguel, mas se ele quiser ir não tem problema. Eu passo os outros dois fins de semana seguidos com ele. Tudo bem?
Certo, mas pensa direitinho sobre você e Luke irem também. Mamãe está realmente com saudades.
Eu vou pensar. sorri e ele beijou meu rosto saindo.

Lucas voltou para casa após se despedir de Miguel, e Luan acenou do elevador. Meu ex e meu filho entraram no elevador e eu fechei a porta, com uma angústia diferente no peito.


Comentários