Pular para o conteúdo principal

SEMIAPAGADOS - CAP. 9

Depois do beijo, eu achei melhor ser direta com o Luan. Eu queria ficar com ele, mas não o queria gastando o latim com poesias e palavras falsas para me levar para o quarto dele. Era muito mais simples e sincero apenas falar o que queria.
Esta minha forma direta de agir, intimida um pouco os homens, mas me poupa tanta dor de cabeça com eles.
E eu tenho que agradecer ao Felipe por isso, porque antes dele, eu não sabia me comunicar com os homens. Então depois de muito quebrar a cara, mudei meu jeito de ser, pelo meu próprio bem.
Luan e eu ficamos de amasso durante o restante da noite, e um pouco antes de irmos embora voltamos a dançar e socializar. Dennis já havia me mandado uma mensagem dizendo que tinha ido para o hotel. Se responsabilizou pela minha volta – ainda que desnecessário – disse que na hora que eu quisesse ir embora para mandar uma mensagem a ele, que ele pediria o carro.
"Ei Mel, não achei a senhorita docinho em canto algum e olha que coincidência: eu também não achei o Luan. Hum... Estranho não? Kkkk. Então eu voltei para o hotel acompanhado. Quando quiser ir embora, me avisa que eu faço questão de pedir o carro para te buscar aí. Não apronta, dê sinal de vida!"
"Você deixou a sua, docinho por uma loira peituda, e adivinha só quem teve que cuidar de mim? Não se preocupe, quando eu chegar em casa amanhã de manhã te aviso Den! Use camisinha!"
Respondi e assim que Luan e eu entrávamos no carro dele meu celular apitou, com uma nova mensagem do Dennis.
"Amanhã de manhã? Quem tá levando esse Mel pra casa? Hahaha"
"Não achei que fosse responder agora, a loira fugiu de você?
"Estamos subindo pro quarto agora, mas fala logo quem é o safado para eu agarrar a mina aqui logo!"
"Como você é fofoqueiro! HAHAHA, se concentra na sua missão aí!"
"MELISSA!"
"O Luan, né Dennis! Quem mais seria?"
"Não acredito! Ele não faz teu tipo, ele é muito romântico! Ele vai se apaixonar, coitadinho..."
"Tchau Dennis!"
Depois não visualizei nenhuma mensagem do Dennis, e contei ao Luan que ele havia ido embora com a loira.
— Vou avisar a ele, pra ficar tranquilo que eu mesmo te levarei para casa amanhã – ele disse assim que comentei a preocupação do Dennis comigo.
Cheguei ao hotel onde Luan estava hospedado, e o quarto era magnífico. Antes que eu pudesse tirar os meus sapatos, Luan me abraçou por trás e beijou meu pescoço. Joguei minha bolsa em um canto, retirei os sapatos, e virei de frente ao Luan passando os braços por sua nuca e o beijando. Ele retirou seu blazer, jogando-o longe também, e me beijou falando em seguida:
— Tenho uma condição.
— O que? – o olhei em dúvida.
— Eu falei sério quando disse que não queria que você fosse embora sem se despedir amanhã.
Sorri não levando ele a sério e voltei a beijá-lo. Luan novamente nos separou e disse:
— É sério Mel, nada de sair de fininho amanhã. Tudo bem por você?
— Tudo bem, não é uma condição tão grave assim.
Voltei a beijá-lo. Ele mexia comigo e eu não sabia os motivos.
Ele era lindo, mas até ali não tinha nada de diferente nele em relação a outros caras com quem eu fiquei, exceto por sua fama, que sinceramente não importava para mim.
E depois daquele papo de não sair de fininho no dia seguinte, só conseguira me lembrar da mensagem do Dennis: "Ele é muito romântico, ele vai se apaixonar...". Temia por aquilo.
A última coisa que eu precisava era me apaixonar por um cara como ele, e muito menos que ele se apaixonasse por mim. Mas era muita petulância pensar aquilo, então resolvi acreditar que ele não desejava que eu saísse de fininho, por precaução de marketing. Afinal, uma noite com uma garota desconhecida poderia render bons ou maus tabloides para ele, se não tivesse certo cuidado.
E por mais que aquela não fosse a minha intenção, eu realmente pretendia apagar aquele acontecimento, eu não poderia culpar o Luan por pensar outra coisa.

Comentários