Pular para o conteúdo principal

SEMIAPAGADOS - CAP. 2


— Mamãe, quantas horas?
— Eu já estou ligando para o seu pai.
Assim que terminei de falar, a campainha do apartamento tocou. Miguel pulava sorrindo e eu o sorri de volta. Fui em direção à porta, e ao abrir lá estava o sorriso mais lindo do mundo. O sorriso tão idêntico ao de Miguel. E os mesmos olhos castanhos, tão profundos e pacíficos mal tiveram tempo de me encarar. Miguel pulou no colo do pai. Sorri com a cena, como eu sempre sorria ao ver os dois. Miguel desceu do colo do pai, e veio me abraçar. Agachei à altura de meu filho, e olhando em seus olhos disse:
— Filho, a mamãe quer que você aproveite todos os momentos com o papai, tá bem?
— Pode deixar. – ele sorria largo e eu o olhava, com os mesmos olhos preocupados da noite anterior.
— Eu te amo muito.
Miguel respondeu um "eu também" e novamente nos abraçamos apertado. Luke cumprimentava Luan. E ao me separar de Miguel, finalmente pude cumprimentar meu ex.
— Bom dia Mel. – ele disse me abraçando.
— Bom dia Luan, como vai?
— Eu vou bem, e você?
— Também. – sorri amigável.
— Luke, se importa de esperar com Miguel na porta do elevador? – Luan perguntou ao Lucas quando viu que Miguel já estava na porta do elevador ansioso.
— Algum problema? – perguntei.
— Você quem vai me dizer. Porque está tão preocupada? Tem alguma coisa acontecendo com o Miguel?
— Tem sim Luan, – suspirei cansada — Ele tem sentido muito a sua falta. Mal dormiu esta noite, se mexendo na cama, acordou eufórico, colocou o seu CD e está te aguardando desde as seis horas da manhã. E eu não estou te cobrando nada, mas eu me sinto muito culpada por tê-lo feito passar por tudo isto.
Assim que terminei de falar suspirando pesadamente, abaixei a cabeça. Luan pegou meu queixo me fazendo o olhar.
— A culpa não é sua. Não seja tão dura com você. O único culpado nisso tudo fui eu, que acabei negligenciando a nossa família. Pode ficar tranquila porque eu também sinto muita falta dele e eu estarei o tempo inteiro com o Miguel. Eu vou aproveitar cada minuto, e ele vai se divertir muito. Eu vou dar o meu melhor, porque eu também sinto falta de...
Antes que ele pudesse terminar de falar, Pedro surgiu ao lado dele me cumprimentando e me beijando.
— Oi amor. Bem, você já conhece o Luan – sorri fraquinho — Luan, este é o Pedro.
— Finalmente eu pude conhecer o papai do Miguel.
Pedro disse cumprimentando Luan, tentando soar simpático e após Luan respondê-lo, meu namorado voltou-se a mim:
— Querida, eu trouxe as coisas para fazer seu prato favorito: bife à parmegianna.
Sorri sem graça. Aquele não era o meu prato favorito. Pedro deu as costas em direção à cozinha e voltei a encarar Luan.
— Acho que precisa contar para ele que o seu prato favorito é bobó de camarão, ou na falta dele, qualquer tipo de massa. Ou não é mais?
— Pode ficar contente em saber que você ainda tem razão sobre isso. – eu sorri.
— Melissa, no próximo fim de semana é o aniversário da minha mãe. E eu sei que é o seu fim de semana com o Miguel, mas eu queria saber se você se importa se eu levá-lo para o sítio. Mamãe está com saudades dele e de você, e do Luke também. O convite é extensivo.
— Eu tinha planejado algumas coisas com Miguel, mas se ele quiser ir não tem problema. Eu passo os outros dois fins de semana seguidos com ele. Tudo bem?
— Certo, mas pensa direitinho sobre você e Luke irem também. Mamãe está realmente com saudades.
— Eu vou pensar. – sorri e ele beijou meu rosto saindo.
Lucas voltou para casa após se despedir de Miguel, e Luan acenou do elevador. Meu ex e meu filho entraram no elevador e eu fechei a porta, com uma angústia diferente no peito.

Antes de descer o elevador, abracei Luke – que assim como era melhor amigo de Melissa, também se tornou um amigo fiel para mim – e não me contentando apenas às cordialidades, precisei investigar:
— Há quanto tempo eles estão juntos? – perguntei apontando discretamente para Melissa.
Ele sorriu e me encarou com aquele olhar de desafio, antes de responder:
— Eles estão saindo há cinco meses, mas oficialmente juntos só tem dois.
— Cinco meses? – me espantei com aquilo — Ela não me falou nada!
— Você esperava que ela ligasse para dizer que partiu para outra?
— Não, mas... Você também não contou nada, Luke!
— Desculpe Luan, você não pediu para que eu espionasse a vida amorosa da minha irmã.
— Não é isso. – mexi nos cabelos, um hábito de quando eu ficava sem graça — Ela está apaixonada por ele?
— O que você acha?
— Luke, não brinca cara...
— Ela não confessou nada ainda, acho que ela está apenas deixando acontecer.
Abracei de novo o meu amigo, Miguel puxava minha perna para irmos logo. Sorri e acenei para Melissa que ainda estava à porta de seu apartamento. Bati no ombro de Lucas dizendo:
— Eu vou ficar de olho neste namoro, e conto com você.

Comentários