Pular para o conteúdo principal

Resenha: "505" de Bella Prudêncio

Eis que estava eu, em minhas redes sociais quando a Bella, antiga capista das minhas histórias no FOBS, postou em sua página "alguém interessado em resenhar meu conto?".

Quem me conhece sabe que eu nunquinha da Silva iria negar uma leitura! Fui lá, comentei, chamei no chat e disse: "bonita, eu quero, eu quero, me escolhe por favorzinho, nunca te pedi nada"! Ok. Não foi assim tão apelativo. 

O fato é que, eu li o conto e trago agorinha para vocês, o meu parecer da experiência. Antes de começar, gostaria de dizer que a história dela está disponível no site wattpad (não sei por quanto tempo). Basta entrar em www.wattpad.com e pesquisar "505" ou o nome da bonita, que aparecerá o perfil dela e suas obras. 

(Aconselho lerem também Sebastian).
Mas vamos lá!

505 retrata um romance entre Daniela e Chris. Ambos vizinhos de apartamento. Chris toca em uma banda famosa, e Dani desconhece não somente este fato, quanto ao próprio vizinho. 
E como eles chagam um ao outro? 
Dani acabara de terminar um relacionamento com Peter e a primeira vez que nota ao seu vizinho, é em um daqueles momentos em que ela deveria estar em casa aos prantos com uma panela de brigadeiro. Mas não. Ela está deploravelmente num elevador ao lado do vizinho. 
Daniela é o tipo de personagem que te deixa assim: "Calhofas, afinal quem é Daniela?"
Se vocês lerem eu espero que retornem aqui para me contarem, quem é a Dani para vocês. 
Ao iniciar da trama, com todo o enredo de término de relacionamento mais a descrição de rotina infeliz, eu apostava que a Dani era uma mulher solitária, com muito empoderamento, e apaixonada ao cubo por Peter. Lá pelas tantas do drama eu descobri que na verdade ela me parecia uma mulher solitária, confusa e frustrada. 

O fim do namoro tem dois lados no sofrimento da Daniela: 
1- Eu amava a nossa relação no início tão instigante, embora fossemos completos opostos, mas jamais aceitaria alguns conceitos de Peter. Tinha tudo para dar certo, mas não deu.
2- Eu anestesiei-me numa relação completamente oposta, lá com seus comodismos atraentes, e Peter era um babaca e eu, ainda mais por saber que nunca daria certo, mas me contentei com tão pouco.

Eu ainda não descobri o que a Dani realmente sentia. Porque a Daniela é um misto de sentimentos, e a autora deixa claro que, até a própria personagem reconhece isso, mas, descobre pouco a pouco a maneira como lidar com seus conflitos. Dani está engatinhando no seu autoconhecimento.

E isso é bem sensacional de ser relatado, porque cá pra nós, a quantidade de manas que eu conheço que apenas alertam-se para si após um namoro frustrado findar, é bem altinha. Não é não? 
Assunto que rende postagem futura. Por enquanto, concentremos na trama.

E o Chris, não tem nada de perfeito. 
E nada de imperfeito. 
É um cantor comum do cenário "largados e artistas"
Seu estilo anos 50, nos faz imaginar o caricato: falso bad boy extremamente sensível com topete de Elvis. É isso. A surpresa fica para a revelação de que o amor dele por Dani era antigo, e intenso.

Os dois personagens são muito empáticos um com o outro logo no início de seu encontro: ele vê nela a personificação do fracasso amoroso que ele fora um dia. Ela vê nele um retrato do estado de espírito em que ela se encontrava.

Não é amor, nem atração física que os ligam. É a empatia pela situação em que passam. O lance do fogo, da atração e da "metade da metadinha que me falta", vem com o tempo aos poucos. E com a empatia vem a curiosidade de conhecer aquele ser tão diferente, e tão igual - de ambos.

Outro ponto muito bacana que a autora Bella, abordou em sua história é que, como a temática é de um romance com um astro da música o cenário dos capítulos é dado por "Faixas", e a narração dos personagens por "lado A e lado B". Referência aos discos de vinil e às fitinhas cassetes. E antes que digam alguma coisa, esta história foi escrita bem antes de "13 Reasons Why"! Não tem influência da série em nada, tá? 

A se tratar do que poderia melhorar...
Eu senti falta de conhecer mais dos personagens secundários. A trama se torna muito linear entre Chris x Dani. E a autora tem outros personagens muito interessantes, mas não explorados. 
Fiquei extremamente curiosa para conhecer o Oliver, para observar Marie em outras situações, e até mesmo a colega de trabalho de Dani que me passa a impressão de compor uma história particular muito interessante. 
Partindo para o lado mais técnico da escrita, eu apostaria em mais jogo de fatos, e complementação entre eles. Determinados momentos eu voltava o texto por ter a impressão de "ter perdido algum fato". A intenção da autora com esta pouca periodicidade é compreendida, mas talvez um pouco mais de história paralela traria um efeito menos direto e objetivo no enredo. 

No geral, é uma história juvenil legal e diferente, (e se me permite a autora) que particularmente como escritora eu teria dado ainda mais enredo. 

No fim percebemos que a Dani é como muitas de nós na busca do nosso eu, do nosso amor e indagações. 
A Daniela é intensa nos sentimentos, embora confusos, mas apresenta uma característica específica: ela reconhece que é a causadora do próprio caos, e a partir deste passo a passo lento, ela vai tateando em solo mais firme. 
E ao final da história o que notamos é isto: ela encontrou alguém, que não foi o causador da sua felicidade, pois a sua felicidade estava ali ao redor o tempo todo, embora ela não a reconhecesse. 

É isso! Eu espero que vocês tenham gostado da resenha, que leiam 505 no wattpad, e que comentem a impressão de vocês também. Afinal, nós escritores queremos e precisamos saber o que vocês gostam ou não no nosso trabalho. Não fiquem acanhados! 
Sigam a Bella no wattpad e estreitem os laços: @bellaprudencio

Beijos, e até a próxima!



Comentários