Pular para o conteúdo principal

Triângulos, Triangulorum



Independente das línguas. Independente dos teoremas. 


Se tratando de amor, fronteiras são imaginativas e psicológicas. Todas as loucuras, burradas, problemas, dores e sofrimentos assim como alegrias, desejos, sensações, e paz que envolvam o "sentimento" do amor, tem o mesmo sabor para aqueles que o conhecem. É universal. 
E tratando-se de universalidades, quem nunca passou por triângulos direta ou indiretamente? Bem, há quem não tenha passado sim, mas não se enganem! Vocês podem como vão passar por isso! Ninguém está imune. A questão é que os triângulos amorosos nem sempre são iguais. Até mesmo porque, nossa "querida" matemática comprova que não existe mesmo, apenas um tipo de triângulo!  

Partindo então para a minha tradução acerca do assunto, lhes apresento : 

Os tipos de triângulos amorosos!


Saibam, como identificar o seu. 
Não é difícil de compreender, é bem lógico até! Entretanto vale ressaltar que, para cada dilema de cada pessoa, as soluções ou entendimentos se divergem. Eu farei uma análise própria. A minha visão de tudo isso, mas não significa que a minha opinião esteja certa ou errada. Certo ou errado são livres de regras quando tratamos de "amor". Pois como eu disse, cada caso é um caso. Então, antes de se julgarem em algum triângulo, antes de considerarem as minhas palavras como "conselho para o seu caso", por mais que eu tente generalizar situações, nada vale mais do que a sua opinião e a sua intuição, certo?

Explicadinho? Temos um acordo? Então vamos lá!


+ Triângulo Isósceles: 

Na matemática é o triângulo que apresenta dois lados iguais e um diferente (Basicão!*). 
No nosso estudo de etimologia amorosa*, segue praticamente a mesma ideia. Duas pessoas que sentem o mesmo uma pela outra e um terceiro sujeito que gosta de uma das duas (diz-se, o incorrespondido que vem para ferrar com a vida do casal, e geralmente muito reconhecido em novelas). 

O que fazer se você é um dos lados iguais?

Cara, se está tudo certo na sua relação lute por isso! Eu sou adepta do mantra "nada que uma boa conversa não resolva", ou seja: brigas, barracos, picuinhas, inimizades e baixaria devem ser mantidas longe. 

Contudo, esses casos são medianamente complicados. Pois duas pessoas querem e outra se coloca no meio, sendo assim, essa terceira pessoa na maioria das vezes está disposta a lutar pelo o que ela quer. E isso atrapalha o casal "perfeito". 

Então, como lidar calmamente? 

Se uma conversa sincera a três não der certo, você terá mesmo que manter seu posicionamento firme. Alguma hora a terceira pessoa irá perceber que "perdeu". Entretanto... Cuidado com as brigas!
Muitas vezes o casal desgasta por si só diante dessa situação, porque o ciúme toma conta, as discussões, e enfim desarmoniza. E a falta de equilíbrio e confiança entre o casal é a brecha perfeita para que a terceira pessoa consiga ir conquistando o seu espaço. E atenção! Isso ocorre mesmo que indiretamente! O "pivô" tanto pode agir e se aproveitar da situação para desestabilizar total os dois lados, como também pode ficar na sua de boa, e ainda assim conseguir o seu objetivo. 

Como isso? 

Concorda que quando uma relação fica massante, a pessoa começa a observar tudo à sua volta? 
Em alguns casos, enxerga até demais, chega a idealizar! Então é isso: relação desgastada e infeliz = chance de outra pessoa ser vista de uma forma mais atrativa. 
Toda terceira pessoa de um triângulo isósceles que se determina a ficar no meio, tenta ganhar espaço de forma positiva, principalmente por intermédio de companheirismo.

E qual o segredo? 

Confiança. E muito diálogo com seu parceiro (a). São vocês que determinam o tamanho do amor, e se for amor de verdade, a relação não se abala facilmente.

O que fazer se você é o lado diferente?

A regra da conversa a três serve para você também! E lógico que, a sua situação é complicadíssima, afinal vai ser levado em conta o que há não só no seu coração, mas também na sua consciência. Perguntas básicas como: "Vale a pena lutar por isso?""Vai me fazer bem atrapalhar um romance sólido?""Vai ser legal para mim ser a segunda opção forçada?""Eu preciso disso tudo?""Eu amo determinada pessoa a esse ponto?""A pessoa tal pode me amar suficientemente para mim e para ele ou é algo incerto?""Será que eu devo investir à força, ou na tranquilidade, ou deixo que a vida se encarregue disso?"...

Se essas e outras perguntas já te passaram à mente e ainda assim você não consegue se decidir, então deixe-me tentar ajudá-lo:

O que faz valer lutar por isso?

Amor verdadeiro. Muitas vezes, o que as pessoas tem pode ser apenas uma cisma com o outro. "AH! NÃO É CISMA!", tudo bem, tudo bem. Mas faça um levantamento do porquê você se julga apaixonada(o) pelo fulano(a), quando isso começou e qual o grau de correspondência.

No caso de decidir atrapalhar, como agir?

- Sinceramente ninguém precisa de conselho para destruir com a felicidade dos outros, e garanto que não sou eu quem irei os dar. E atrapalhar um relacionamento sólido nunca é uma boa alternativa, porque só traz mais dor, sofrimento e ainda tem a garantia de não dar em nada! Porém, essa questão de "atrapalhar" é muito pessoal. Engloba consciência e caráter
Eu, por exemplo, mesmo que amasse alguém que está apaixonado por outra, jamais me colocaria de uma forma cruel entre os dois. Primeiramente eu seria sincera com ambos. Depois, iria partir da pessoa por quem eu nutrisse sentimentos, querer ou não contato comigo. Se colocar no lugar do outro também é ótimo, porque se fosse ao contrário, como você se sentiria? E mesmo que você AME de verdade o outro, a reciprocidade deve ser autêntica. Você não pode forçar isso. A pessoa vai ver o que você é, se você for sincera, e aí gostar ou não de você se torna uma questão de afinidade. 

Como assim? Vamos simplificar:

Maria gosta de João que gosta e namora Ana. Maria conta para o João dos seus sentimentos. João diz a Maria que ficará com Ana. Maria compreende e continua seguindo sua vida por mais difícil que seja. Maria não alimenta inimizades. Maria começa a despertar indiretamente os olhares  de João. João começa a perceber o quanto Maria mexe com ele. As coisas se resolvem. 

*As coisas se resolvem: é um desfecho que dependerá do João. Ele pode esquecer Maria ou não.

A vida é assim! Ser a Maria é difícil, porque a Maria é a mocinha da novela das nove, é o amor não correspondido. E ser o lado não correspondido é a penitência mais cruel do amor. Entretanto se meter na vida de duas pessoas já é chato, fazê-lo a fim de destruir então... É desonesto

Na vida temos que nos contentar com a ideia de que o que é para ser seu será nem sempre pode-se ter tudo o que quer. É a regra básica. 

Então, pense bastante se você vai querer ser a outra, a pivô, o ponto podre, a destruidora de lares e caso queira, pensa triplamente se compensará! 
Um amor correspondido por pressão é mais curto que calça de anão, meu bem! É algo falso. Se você se contenta com pouco, ou seja: falsidade, miséria  de sentimento, então você tem problemas. Procura um psiquiatra. Até mesmo no amor, o ser humano quer intensidade. Entrega completa, sabe? É da nossa natureza. Se isso não faz sentido para você...  Na boa, se cuida. 
Por maior que seja seu amor pelo outro, se contentar com o "resto" do que o outro pode oferecer é doentio, cruel. E sem dúvidas, há alguém querendo te entregar tudo o que pode e você não está sabendo, ou sabe e evita. 

Essa questão de "resto" também é relativo dependendo do caso.

Conquistar as coisas por seus méritos é divino, mas lógico, os méritos devem ser virtuosos e dignos. E isso é válido para TUDO, não somente relacionamentos.

+ Triângulo Escaleno:

Todos os três lados diferentes. 
Bem, isso é o típico caso do Drummond:

João amava Teresa que amava Raimundo que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili que não amava ninguém. 

E a solução? Meu bem, a única solução que vejo é desfazer o triângulo. Cada um mudar o rumo. Dá para ter outra solução?

João -> Teresa -> Raimundo. (Levando-se em conta que Raimundo não ame o João). E mesmo que ame, qual a solução? Tem que desfazer o triângulo. Esse teorema, ao meu ver é exato. E no amor não cabem exatidões. 

Em todo caso, se você vive esse triângulo pode ir lá no grupo e conversar com uma de nós, da equipe, se quiser. Afinal, em um caso de "Escaleno agudo" não dá para generalizar aqui. Porque em um geral, o jeito é cada um olhar para o lado, fora do triângulo. Mas como existem várias situações por aí, converse conosco e nós iremos dizer sinceramente o que achamos. Mesmo que não tenha solução, procure desabafar com alguém seja quem for. 

Nesse diagnóstico é necessário se desfazer do que te sufoca para pisar no lado de fora.

Triângulo Equilátero:

Todos os lados são iguais, ou seja: todos os três se amam. É como o esquema de cima:

João -> Teresa -> Raimundo. (Porém o Raimundo ama o João).

E há duas resoluções:

a) Complicada: 

Ninguém se resolve e tudo congela. 
Meu diagnóstico? Desfaz essa bagaça também! Procure ver, se o que você sente é real mesmo! 
Pode ser que João ame Teresa e Teresa passe a amar João. Pode ser que Teresa ame Raimundo e ele passe a amar Teresa. Pode ser que Raimundo ame João e ele passe a amar o Raimundo. 

E pode ser que tudo congele. Um ame o outro ou os três se amem igual. 

Um ame o outro - desfaz, desfaz! Descomplica, haney! Com certeza tem outra opção por aí, e com certeza você não faz parte dessa comédia fracassada. 
Os três se amem: Já pensou que pode ser só amizade? 

b) Fácil: 

E a fácil é justamente a situação dos três se amarem e vendo que não é só amizade, partirem para o abraço. Não estou instigando o homossexualismo e nem dizendo que é errado, mas a situação é assim. Geralmente se não for amizade, é isso aí que vai dar. Três amores.

E quando duas pessoas não se amam, mas amam a mesma pessoa? 
É outro caso de triângulo isósceles, e a resolução vai se dar em:

A pessoa que é o foco escolher entre os dois.
A pessoa que é o foco não escolher ninguém.
A pessoa que é o foco ficar com os dois. (Tipo a série Aline e aí já deve ter um consenso geral).

Bom, é isso aí pessoas :)

*Basicão : neologismo aumentativo de básico.
*Etimologia amorosa: isso não existe, eu inventei :)

Comentários