Pular para o conteúdo principal

Ignotum



Um, dois, três e quatro. Contadores disparados e cada segundo é precioso.
Altas maneiras de lutar e de enxergar objetivos e perdas.
Talvez seja apenas  uma forma distorcida de continuar vagueando sem rumo. Legados de antepassados frustrados. Ou apenas preguiça. Ou apenas falta de entedimento.
Ouço sons da minha alma dizendo que posso reconhecer todos os caminhos e que a saída é antiga amiga. Mas não enxergo, não consigo o brilho nem a vidência mesmo que turva.
Tenho tido muitas dúvidas e carregado fardos que não me pertencem.
Talvez seja apenas uma forma de repetir as coisas de um jeito errado. Talvez seja apenas o desespero impedindo de ver o óbvio. Ou cansaço. Ou medo. Ou solidão.
Ouço sons baixos que caluniam desconhecidas figuras, desconhecidos rituais.

Rayanne Nayara.

Comentários