Pular para o conteúdo principal

O amor.

O amor de repente pode surgir de um abraço.
Um beijo mal dado.
Uma palavra de conforto.
Assim como se o véu  da cegueira desaparecesse.

O amor precisa de cuidado.
Ele pode envelhecer com o tempo.
Iluminá-lo com sol, regá-lo com a chuva. Ou lágrimas. 
Transformam-o em eficaz e duradouro.

Pode ser que só meus olhos vejam isso.

O amor transmite calor. E também o frio.
O amor não tem limites ou quantidade.
O amor é elétrico.
E ele voa.





Ele é rude e meigo. Cruel e bondoso. Amargo e doce. 
É remédio e veneno. 
Mata e Ressucita.

Se ele quiser torcer as leis da vida, do mundo, do coração.
Se ele quiser acabar com a sua fé.
A fé do nada a ver.
Ele é capaz de tudo.
É único, incomparável.

Pode ser que só meus olhos vejam isso.
Pode ser que seja desse jeito só para mim.
Talvez para alguém mais.
Alguém que eu procuro. 
E não encontro.
Alguém que possa ou não existir.

Por, Rayanne Nayara. 

Comentários

MAIS LIDAS

Sobre fanfics 'oneshot' .

Comecei a ler fanfiction aos meus treze anos de idade, na época em que ainda existia no orkut (céus, como você é velha) aquelas comunidades de "Web Novelas". Iniciei as leituras virtuais com as tais web novelas, que na minha opinião atual eram um pé no saco, pois a plataforma do orkut não permitia uma postagem em página única. As autoras postavam os capítulos através de comentários nos fóruns. Logo, ocorria uma mistura infinita de capítulos da história com comentários de leitoras. Tudo dentro de um mesmo fórum.  Enfim... Quem viveu saberá do que estamos falando aqui, e tchananãn.

Criaram por fim, as fanfictions (ficções de fã) que eram postadas em sites de hospedagem de página HTML, como por exemplo, o vilabol e geocities (R.I.P).  Foi um achado, gente!  Porque você escrevia sua história toda, criptografava em HTML, e a história ficava no padrão atual de postagem. Ah! E havia a possibilidade de ser interativa, o que na época era um babado! Assim que encerraram a disponibili…