11 dezembro, 2012

Paraíso Negro


Seria louco, muito louco que tudo caminhasse à nossa maneira. Extremamente surreal que todos os planos começassem a dar certo, como por um inspirar e expirar dos pulmões.
Toda essa loucura poderia ser boa? Minimamente saudável, talvez?

Embora utopias assim sejam as garras que nos prendem às íngremes montanhas, este paraíso negro é o que me faz buscar sempre o que há de maior.

Fecho os olhos e pisco incontáveis vezes, não muda muita coisa além da luz e o escuro.
Nunca pensei em cair e ficar deitada, pelo contrário, eu gosto desse paraíso negro.
Eu gosto desse paraíso negro que foge de mim e das minhas latas de spray coloridos. Eu sou uma grafiteira em um mundo turvo e incolor.

Embora utopias assim sejam as garras que nos prendem às íngremes montanhas, este paraíso negro é o que me faz buscar sempre o que há de maior. 

Pois não existiria graça abrir os olhos e sempre enxergar o arco-íris perfeito.