05 dezembro, 2012

Nem que seja no dia em que morrermos.




Querido fique certo de quê por mais distante que estejamos, meus pés não falharão.
Eles seguirão até você quando for preciso.
São estes os jogos cruéis da vida.
Segure firme seu coração para aguentar as resistências. E não deixe cair o meu.
Não me faça chorar, lembre-se da promessa de sempre me fazer sorrir.
Não quero deixá-lo triste, embora fosse um pouco justo.
O amor é duro na maioria das vezes, até que aprendemos como tratá-lo.
Eu tive que engolir muita coisa vendo você com outras malvadas, mas aprendi que calar é uma das melhores formas de causar a dor.
Está sendo difícil observr de longe, porém aproximar-me é altamente destrutivo. 
Nos reencontraremos nem que seja no dia em que morrermos.


Perdida nas lembranças daqueles dias bons, onde observávamos o mar e brigavámos pela estação do rádio.
Tempos que não voltam. Não me odeie, eu mesma não consigo.
Entre todos os beijos e lágrimas de nada me arrependo . 
Compreender o que se passa dentro do outro soa impossível, por isso arranquei meu coração e entreguei em sua mão. Quem sabe assim você entenda a minha insanidade e cuide bem dele, para devolvê-lo algum dia. Ou não. Um tronco caído e oco ainda ecoa bons sons. 
Eu tive que engolir muita coisa vendo você com outras malvadas, mas aprendi que calar é uma das melhores formas de causar a dor.
Está sendo dificil observr de longe, porém aproximar-me é altamente destrutivo. 
Nos reencontraremos nem que seja no dia em que morrermos.

Rayanne Nayara.