14 agosto, 2012

Crise do Euro : O mundo deve entrar em pânico ?


Redação
Tema: “Qual a importância para o Brasil e para o mundo, da crise econômica dos países da zona do Euro?” (BANCO DE REDAÇÕES DO SITE UOL EDUCAÇÃO)

                                               Crise do Euro: O mundo deve entrar em pânico?
O euro, moeda oficial em 17 países da União Europeia, há cerca dos três últimos anos de sua década apresenta dificuldades de giro capital. Isso se deve a um descontrole de gastos entre as comercializações desses países, em geral gastou-se além do que se arrecadava de impostos nesse período.  A questão proeminente é onde o Brasil se encaixa nesse patamar e até onde a crise chega mundialmente.

Os principais países reitores da economia, como Itália, Alemanha, Espanha, França e Portugal, são quem mais tem preocupado a economia mundial por sua magnitude de transações. A Grécia com sua decaída assustou a todos demonstrando uma parcela do estrago causado e de como isso pode influenciar até aos não envolvidos na zona do euro, visto que investidores do mundo inteiro retiraram suas ações e investimentos desses respectivos Estados.

Para o Brasil a crise chegou menos subitamente, porém tem refletido nos lucros e custos dos brasileiros.  A começar pela inflação atual que demonstra um reflexo estratégico de manter a economia estável sendo aplicada ao aumento de impostos e taxas. O país tem buscado não depender de seus negociantes internacionais utilizando produzir e vender o máximo possível dentro de seu próprio território. Diminuindo a importação e buscando manter a exportação, o Brasil necessita de indústrias autênticas e modernas implicando em despesas nesse nicho, por isso a brusca inflação aplicada pouco a pouco. É uma saída admissível, mas monopolizar o comércio pode ser também um risco. O ideal é aproveitar essa oportunidade para crescer de forma inteligente nas próprias exportações, obviamente com controle, pois os demais países tem cada vez mais congelados seu consumismo exterior.

Para o mundo, o dólar recebe uma carga além do que é costume mundialmente. Porém sua instabilidade também tem demonstrado a cautela em receber e vender investidores. De forma geral os serviços foram internacionalmente afetados. Por exemplo, no aumento do desemprego e paralisação de mercados, momentaneamente controlados.  É preocupante o nível escalar que um determinado bloco econômico, até então restrito, atinge o mundo em meio a uma crise interna, mas não há motivos de pânico. Tudo se submete a estratégias inteligentes que cada país deve abordar.  O Brasil apesar das fortes mudanças que podem surgir tem se mostrado intermediário na crise, é claro que para a população pobre do país, a crise é monstruosa e gera ainda mais miséria. Porém esse é um fator de consequências dos métodos em um país desigual, onde a futura estratégia será desfazer os estragos que a inflação causará nessa massa.


Por, Rayanne Nayara.