30 julho, 2012

Expectativas.



O tempo passa arrastado por nós. 
Dores embaladas em mim por seus choros e lamentos de amores antigos, dos quais eu não vivi.
Eu nem sei mais se respiro ou sinto falta de ar, lembrando cada traço seu, cada palavra.
E o problema de não falarmos cara a cara é justamente não saber se eu te amo, te ganho, te perco. Não saber suas reações. 
Expectativas. Vãs expectativas de um sentimento surrealista e intrépido.
Todas suas barganhas marginais, deveriam servir de obstáculo, mas corações não enxergam obstáculos. 
Esse dever é da razão, e a razão meu querido, nunca está de braços dados à emoção.

Por, Rayanne Nayara.