07 dezembro, 2011

Jura inquebrável do destino.





Como faço para te esquecer?
Responda-me com o antídoto da amnésia.
Minha alma se sente incompleta.
Quando passo pela minha sombra, passas por mim.

O silêncio do ar, me remete aos seus suspiros.
Ardilosos, dolorosos.
De amor e paixão.

Tão lindo de olhar.
E nenhum adeus pode apagar.



Como faço para te lembrar, que a promessa foi feita.
Pelo abraço no espelho.
Sorrindo.
Jura inquebrável.

E o silêncio do ar, me remete aos seus suspiros.
Ardilosos, dolorosos.
De amor e paixão.

E nenhum adeus pode apagar.
As confidências de cada gemido.
Da felicidade. 
De nós dois.

Jura inquebrável do destino.

Por, Rayanne Nayara.