31 maio, 2011

Lirismo Dois.



Quando a lágrima surgiu e o leito da paz não estava presente,
nada mais era real, nem a chuva, nem o sol.
E a calma do dia não acalmava, em um momento apenas a imensidão dos céus da solidão.
E as estrelas mentiam,  brilhavam convencidas de que me enganavam.
A ilusão se foi na correnteza.
Cheguei a tornar-me pó . Ser  nada.
E só me restava escrever que eu não poderia chegar.
Foi quando apareceu o que eu esperava
pra preencher meu mundo que era seu.
Eu não sabia chegar, foi quando apareceu,
o que eu iria buscar, pra ser o anjo do meu, mundo particular
mundo que era seu.
Nesse mundo não há mais nada a se perder.
E posso dizer, o amor existe para quem ama.